Ianoukovich promete lutar pelo futuro da Ucrânia

O Presidente da Ucrânia deposto, Viktor Ianoukovich, afirmou, esta sexta-feira, não ter sido "destituído" e promete continuar "a lutar pelo futuro da Ucrânia", durante a sua primeira aparição em público depois que abandonou o país na semana passada.

Viktor Ianoukovich disse que abandonou a Ucrânia depois de ter recebido ameaças de vida, acrescentando que o poder tinha sido tomado "por jovens milícias nacionalistas e pro-fascistas", durante uma conferência de imprensa em Rostov-sur-le-Don, cidade russa próxima da fronteira ucraniana.

O Presidente deposto sublinhou que a falta de lei e o caos tomaram o país depois de um acordo que assinou com seus opositores na sexta-feira da semana passada, sob mediação da União Europeia. O acordo visava encerrar a crise de três meses. Ianoukovich fugiu de Kiev no mesmo dia.

Sobre a tensão na Crimeia afirmou tratar-se de "uma reação natural" à usurpação do poder e a "um golpe de Estado de bandidos". apelando à manutenção da república autónoma de Crimeia na Ucrânia.

Ianoukovich disse ainda que telefonou a Vladimir Putin assim que chegou à Rússia mas que não tinha falado com o Presidente russo. Admite estar "surpreendido" com o silêncio de Putin.

"Regressarei em Ucrânia (...) assim que tiver condições e garantias de segurança, sobretudo da parte dos mediadores internacionais", garantiu.

Deixou claro que não irá participar nas eleições presidenciais "ilegais" do dia 25 de maio.

Rostov-sur-le-Don fica situada a cerca de 200 quilómetros de Donetsk, bastião de Ianukovich, que pediu oficialmente a proteção da Rússia, depois de ter sido destituído do cargo pelo parlamento no sábado passado e de ter estado desaparecido desde então.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG