Greve geral na 6.ª para contestar baixos aumentos salariais

As principais centrais sindicais belgas agendaram para sexta-feira uma "jornada de acções nacionais", com uma greve geral e manifestações, para contestar os aumentos salariais propostos pelo governo para o sector privado.

Segundo a agência AFP, a central sindical socialista FGTB, com 1,5 milhões de filiados, e a central liberal CGSLB, com 260 mil membros, contestam a decisão do governo de limitar os aumentos salariais no sector privado para o período 2011/2012 a 0,3 por cento acima da taxa de inflação. Os sectores enérgico e dos transportes deverão sofrer fortes perturbações. As duas organizações sindicais preveem que diversos bancos, grandes superfícies e empresas siderúrgicas ou do setor energético deverão aderir à greve geral.

A rede ferroviária do país também deverá sofrer grandes perturbações. A circulação de autocarros, elétricos ou metro também deverá estar fortemente condicionada, incluindo em Bruxelas.

Ainda na capital belga, ao final da manhã, está prevista a realização de uma manifestação em frente à sede do Banco Nacional da Bélgica, localizado no centro da cidade.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG