Governo grego otimista sobre negociações com a 'troika'

O Governo grego mostrou-se hoje otimista em relação à obtenção de um acordo com a 'troika' sobre o programa de reformas antes da reunião do Eurogrupo de 10 de março.

A 'troika' retomou hoje a quinta avaliação do programa de reformas imposto a Atenas em troca do resgate financeiro, um exame que se tem arrastado desde setembro último.

"Estamos muito perto de um acordo", afirmou o porta-voz do Governo grego, Simos Kedikoglu, em declarações à cadeia de televisão privada grega Mega, antes do início das negociações.

O objetivo é ter pronto o pacote de assuntos pendentes antes da reunião do Eurogrupo de 10 de março, para que no encontro seguinte, a 1 de abril, em Atenas, se dê finalmente luz verde à transferência de 8.800 milhões de euros correspondentes à tranche de ajuda do último trimestre de 2013 e do primeiro trimestre deste ano.

Entre os assuntos que a 'troika' - formada pela Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Europeu - espera esclarecer com o Governo grego liderado por Antonis Samaras estão a forma como enfrentar o défice orçamental esperado em 2014, que Atenas avalia em 1.000 milhões de euros e o FMI estima em 4.400 milhões de euros.

Durante esta visita da 'troika' também se espera que as reformas estruturais, cuja adoção por Atenas está muita atrasada, sejam abordadas.

O Governo de Atenas espera conseguir o reconhecimento por parte da 'toika' sobre o bom andamento da consolidação orçamental, que levará a um excedente primário em 2013 que o primeiro-ministro grego estimou em 1.500 milhões de euros.

Exclusivos

Premium

Catarina Carvalho

O bom trabalho do José Mário Branco 

Foram três serões de espanto. Assisti à gravação do disco Sempre, de Katia Guerreiro, que foi produzido por José Mário Branco com a consultadoria da mulher, Manuela de Freitas. Foi há cerca de um ano. Assisti a tudo e o objetivo era descrevê-lo numa reportagem que havia de fazer capa de uma das novas edições do Diário de Notícias, nessa altura em preparação, em maio de 2018. Mas, na verdade, aquilo que tive foi uma experiência de vida, daquelas que constituem marcos de existência.

Premium

Marisa Matias

Baralhar e dar de novo

Na próxima semana irá finalmente a votos a Comissão Von der Leyen. Depois de propostas de nomes rejeitadas, depois de várias controvérsias associadas aos novos portfólios apresentados pela presidente eleita, finalizou-se o processo sem, contudo, eliminar a ameaça de conflitos de interesses ou mudar significativamente os portfólios. Nas contas finais, parece que tudo não passou de um jogo de equilíbrios partidários, muito longe dos interesses dos cidadãos.