Governo britânico autorizado a mudar lei de sucessão

Os países da Commonwealth já deram luz verde para se altere a lei no sentido de acabar com a primazia masculina na sucessão ao trono. O anúncio surge um dia depois de Kate e William divulgarem que vão ser pais.

De acordo com o vice-primeiro-ministro britânico, Nick Clegg, o acordo já foi conseguido em outubro de 2011, numa reunião em Perth, Austrália, mas faltava tê-lo por escrito, o que aconteceu agora.

"É uma extraordinária coincidência que a confirmação final tenha acontecido no mesmo dia" em que foi divulgada a gravidez de Kate Middleton, afirmou hoje o vice-primeiro-ministro, referindo-se à mulher do príncipe William, o segundo na linha de sucessão ao trono.

Nick Clegg afirmou ainda que todos os estados da Commonwealth poderão "comemorar que, independentemente de o bebé ser menino ou menina, tenha igual direito a subir ao trono".

Já a possibilidade de nascerem gémeos - como se especula pelo facto de os enjoos matinais crónicos que levaram Kate a ser internada serem mais comuns em gravidezes múltiplas - torna a sucessão mais complicada.

O jornal Daily Mail já ouviu especialistas na matéria, que explicam que, em caso de gémeos, o primeiro a nascer (seja menino ou menina, devido ao tal acordo dos países da Commonwealth) será o sucessor, como aconteceu na Dinamarca.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG