Gazprom avisa que cortará o gás se Kiev não pagar dívida

A empresa estatal de gás russa Gazprom avisou hoje a Ucrânia de que pode cortar o fornecimento de gás se o país não pagar a dívida de 1,89 mil milhões de dólares (1,36 mil milhões de euros).

"A Ucrânia deixou de pagar gás e não podemos fornecê-lo de graça. Ou a Ucrânia paga a dívida ou há o risco de regressar à situação do início de 2009", disse o presidente executivo da Gazprom, Alexei Miller, citado pelos 'media' russos.

Em 2009, a Gazprom cortou o fornecimento de gás à Ucrânia, interrompendo com isso o fornecimento de vários países europeus. A Europa importa cerca de um terço do gás que consome da Rússia, quase todo através de gasodutos que atravessam a Ucrânia.

O responsável indicou que termina hoje o prazo dado a Kiev para pagar o gás fornecido em fevereiro. "A Gazprom não recebeu o pagamento na sua conta. A dívida aumentou e é agora de 1,89 mil milhões de dólares (1,36 mil milhões de euros)", disse Miller.

A empresa russa já tinha anunciado esta semana o fim, a partir de abril, do desconto substancial no preço do gás cobrado à Ucrânia. Na sequência desse anúncio, a União Europeia (UE) afirmou que ajudaria Kiev a pagar o gás.

As relações entre a Rússia e a Ucrânia degradaram-se no final de fevereiro, depois da destituição do Presidente ucraniano Viktor Ianukovich, considerado próximo de Moscovo, ao fim de três meses de manifestações maciças em defesa da aproximação do país à UE.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG