Futuro rei diz-se "consciente" das novas responsabilidades

Filipe, que vai suceder a Alberto II, no trono da Bélgica, no dia 21 de julho disse hoje que está "consciente" das novas responsabilidades na sua primeira aparição pública depois do pai ter ontem anunciado que abdicava.

"Quero prestar homenagem a rei pelo seu reinado de 20 anos. Estou consciente das responsabilidades que recaem em mim. Continuarei empenhado com todo o meu coração", disse o príncipe herdeiro numa breve declaração à imprensa durante uma deslocação a Anvers para uma reunião científica.

O príncipe, de 53 anos, remeteu todas as perguntas dos jornalistas para 21 de julho, dia da festa nacional da Bélgica e data em que Alberto II passará oficialmente o testemunho ao filho.

A imprensa belga dá especial destaque à mudança de chefe de Estado e às suas consequências políticas.

"A abdicação do rei Alberto II abre um período de incerteza política e "relança o debate em torno da preparação do seu filho, e da monarquia como a conhecemos hoje", escreve o jornal "Le Soir", citado pela AFP.

"Alberto II, sentindo-se incapaz de enfrentar uma nova crise política, tomou as as suas responsabilidades no interesse do país", escreve o "La Libre Belgique", classificando de "forte, corajoso e caloroso" o rei ainda em funções. Segundo a mesma publicação, o príncipe Filipe terá como missão "convencer na Flandres", zona do país onde o apoio à monarquia é menor do que na Bélgica francófona.

O futuro rei dos Belgas é casado com a princesa Matilde, uma aristocrata belga, com quem se casou em dezembro de 1999. O casal tem quatro filhos: Elisabete, Gabriel, Emanuel e Eleonor.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG