Futuro cardeal diz que homossexualidade é "deficiência"

O futuro cardeal espanhol Fernando Sebastian, próximo do Papa, gerou duras críticas por parte das associações de defesa dos direitos dos homossexuais e da oposição socialista ao afirmar que a homossexualidade é "uma forma de deficiência sexual".

O arcebispo emérito de Pamplona, Fernando Sebastian Aguilar, de 84 anos, é um dos 19 novos cardeais cuja nomeação foi anunciada pelo Papa Francisco e que serão oficializados a 22 de fevereiro.

"Com todo o respeito, digo que a homossexualidade é uma forma deficiente de exprimir a sexualidade, porque esta última tem uma estrutura e um objetivo que é a procriação", afirmou o prelado numa entrevista publicada domingo no ornal Sur de Malaga, cidade onde reside.

"No nosso corpo temos muitas deficiências. Eu tenho hipertensão. Vou ficar irritado quando me dizem que tenho? É uma deficiência que devo corrigir como posso. Mostrar a um homossexual uma deficiência não é uma ofensa, é uma ajuda porque muitos casos de homossexualidade são recuperáveis com o tratamento adequado", afirmou Fernando Sebastian.

Os socialistas já criticaram estas declarações que, segundo a secretária da Igualdade do PSOE, Purificación Causapié, "contribuem para perpetuar a discriminação e a violência que existem em vários países contra os homossexuais".

Já as associações de defesa dos direitos dos homossexuais, exigiram que Fernando Sebastian retire as suas palavras.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG