"Fritzl italiano" detido em Turim

Um homem de 63 anos foi detido em Turim (Norte de Itália) por ter violado e sequestrado a filha durante 25 anos e ter incitado o filho a abusar sexualmente das próprias filhas, anunciou hoje a polícia italiana.

O caso é muito semelhante ao do austríaco Josef Fritzl, que ficou conhecido por "monstro de Amstetten". O nome deste "monstro de Turim", que violou a filha durante 25 anos, ainda não foi divulgado.

A filha, de 34 anos, era violada regularmente desde os nove anos pelo pai, um vendedor ambulante, afirmaram os investigadores, citados pelo jornal diário italiano La Repubblica.

A vítima, que só podia sair de casa acompanhada pelo pai, estava fechada numa divisão sem luz e deixou de ir à escola com cerca de 13 anos, indicou a mesma fonte.

Para o pai incestuoso, "uma lei familiar exigia que a filha mais velha lhe fosse 'prometida'", referiu o procurador encarregue do caso, Pietro Forno.

Posteriormente, o pai incitou o filho, de 40 anos, a imitá-lo.

O filho foi detido por suspeita de ter violado e maltratado as quatro filhas de seis, oito, 12 e 20 anos e de as ter obrigado a assistir às relações sexuais, disse a mesma fonte.

A investigação deste caso começou em Outubro quando Laura, nome fictício, fez queixa do irmão, acusando-o de a ter violado e sequestrado durante duas semanas quando se refugiou em casa deste depois de ter discutido com o pai.

O jornal La Repubblica relacionava este caso com o do austríaco Josef Fritzl, condenado na semana passada a prisão perpétua por ter sequestrado e abusado sexualmente da filha durante 24 anos.

As cinco presumíveis vítimas estão a ter acompanhamento psicológico.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG