Felipe VI quer "uma monarquia renovada"

O primeiro discurso de Felipe VI teve menções para a crise, os jovens sem trabalho e as divisões políticas. "Em Espanha, cabemos todos", disse, pedindo "uma monarquia renovada para um tempo novo", respeitando a separação de poderes. Lembrou ainda o trabalho pai, o rei Juan Carlos -- "Um reinado excecional, com um legado extraordinário" -- e o papel da mãe, a rainha Sofia.

"Aspiro a uma monarquia renovada para um tempo novo", disse Felipe VI, naquele que pode ser o resumo de um discurso em que pôs a tónica na estabilidade das instituições e no seu papel como garante desse equílibro, e como símbolo de unidade num país de grandes divisões, em que a sua chegada ao trono mereceu forte contestação.

"Temos de trabalhar juntos para enriquecer o coletivo", pediu Felipe VI. "Estamos a assistir a profundas transformações". "Os temores dos cidadãos abrem-nos oportunidades", afirmou. "É uma tarefa que nos pede uma mudança de mentalidades e atitudes e uma visão de responsabilidade", adiantou ainda. O rei chega ao trono com o apoio do PP e do PSOE, mas com sectores do partido socialista a reclamar um referendo, tal como outros partidos de Esquerda, nomeadamente a Izquierda Plural.

Felipe VI mencionou a diversidade de línguas e culturas, fruto da história do país chamando ao rei a tarefa de unir o país. "A coroa é o símbolo da unidade, que não é uniformidade", disse, aludindo às diferenças e divisões entre as várias regiões, nomeadamente a Catalunha, o País Basco e a Galiza. Falou especificamente das diferentes línguas que fazem Espanha, "pontes para o diálogo". Esse momento mereceu um aplauso da câmara de deputados.

A crise mereceu referências próprias. Felipe aludiu aos problemas de desemprego das famílias e aos mais jovens. "Temos o dever de transmitir uma mensagem aos mais jovens e a obtenção de um emprego seja uma prioridade".

As vítimas do terrorismo e "de todos os que lutamam pela nossa liberdade" foram lembrados por Felipe VI. "A sua lembrança vai permanecer na nossa memória e na nossa lembrança".

"Os cidadãos procuram exemplaridade na vida pública e o rei deve fazer parte", afirmou Felipe VI no discurso, que começou às 09.50.

"Hoje posso afirmar que começa o reinado de um rei constitucional", disse. "Um rei que deve estar de acordo com as funções que foram encomendadas, assumir a sua representação, um rei que deve respeitar o princípio da separação dos poderes, colaborar com o Governo e respeitar a independência do poder judicial", disse. Declarações que podem ser lidas à luz dos problemas judiciais que enfrentam a irmã do novo rei e o seu cunhado, a infanta Cristina e Iñaki Urdangarín. O ex-andebolista está acusado de crimes de evasão fiscal e branqueamento de capitais

"Encontrarão em mim um chefe de Estado disposto a ouvir e aconselhar e a defender os interesses gerais", prometeu, sublinhando a estabilidade institucional da coroa como garante do equilíbrio e do funcionamente do Estado.

Numa palavra para as relações externas, Felipe VI mencionou as relações privilegiados com a América Latina mas também os países do Mediterrâneo e do Médio Oriente, bem como com novos interlocutores "no quadro das Nações Unidas".

No final do discurso, Felipe VI voltou a dirigir-se aos espanhóis. "Gostaria de agradecer o apoio e o carinho que tantas vezes recebi", afirmou, referindo-se aos espanhois. "Tenho fé na nação espanhola, responsável e solidária, que está a demonstrar uma grande capaicdade de superação. Sinto-me orguilhoso dos espanhois e nada me deixaria mais feliz do que trabalha. Citou Miguel Cevantes, "através de D. Quixote". "Nenhum homem é mais do que outro se não faz mais do que outro."

Os primeiros agradecimentos foram para o pai, Juan Carlos, "qu fez um reinado excecional e deixa um legado extraordinário". As suas palavras mereceram um forte aplasou. O outro agradecimento foi para a mãe, a rainha Sofía, por "toda uma vida de trabalho, impecável, ao serviço de Espanha". "É um exemplo e merece um emocionado tributo", acrescentou. "Espero que possamos continuar com o seu apoio e a sua experiência". frisou.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG