Família real de Espanha fica 2% mais pobre

O orçamento da Casa Real de Espanha vai encolher 2%, passando dos 8,43 milhões de euros para os 8,26 milhões, anunciou hoje o ministro das Finanças do país, Cristóbal Montoro.

Este é o montante mais baixo desde 2007, mas houve quem tivesse cortes superiores. Os ministérios vão diminuir 16,9%.

Os cortes e o seu anúncio acontece após, em dezembro, a Casa Real ter divulgado as suas contas, pela primeira vez na história, a reboque do escândalo que envolveu o genro do rei de Espanha, Iñaki Urdagarín, suspeito de corrupção.

Conhecidas as contas reais, ficou a saber-se que a fatia de leão do orçamento destinado aos Borbón era para o rei Juan Carlos com cerca de 300 mil euros. Seguia-se o príncipe Felipe, com 146 mil euros. A rainha Sofía, a princesa das Astúrias, Letizia Ortiz e as infantas Elena e Cristina dividiam entre elas 375 mil euros por ano, de acordo com o jornal espanhol "El Mundo".

Outro jornal, o "La Vanguardia", avança que o salário líquido anual de Juan Carlos é de cerca de 176 mil euros (14600 euros por mês, dividida a quantia por 12).

O diário da Catalunha avança ainda que trabalham para a Casa Real 500 pessoas mas apenas 18 são pagas pela instituição. Das restantes, 139 estão a cargo do ministério da presidência e 350 dependem de outros organismos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG