Exposição torna-se polémica devido à "radicalização" da França

"Zizi Sexuel" em Paris está agora a levantar polémica por querer ensinar a sexualidade às crianças. Mas a exposição já existe desde 2007.

Em 2007, a exposição "Zizi Sexuel" abriu no complexo de museus Cité des Sciences, em Paris, sem levantar controvérsias de maior. No entanto, agora que voltou a Paris depois de uma viagem pela Europa, já motivou o surgimento de uma petição com mais de 39 mil signatários, pedindo que os pais dos alunos que são levados à exposição sejam informados dos "conteúdos sexualmente explícitos."

Para a ministra da Cultura, Fleur Pellerin, o facto de a exposição levantar agora problemas, embora tenha passado despercebida em 2007, estará relacionado com os debates do ano passado acerca da igualdade entre os géneros.

"Não houve reação em 2007, agora houve. Talvez haja uma correlação, que não é uma relação de causa e efeito, mas em todo o caso uma proximidade no tempo entre os dois debates", diz a ministra, citada pelo Libération. "Noto que há uma forma de radicalização que estará talvez ligada aos eventos do ano passado, que sem dúvida deixaram certas pessoas um pouco crispadas."

Quando diz "os eventos do ano passado", a ministra refere-se ao projeto ABDC de l'égalité, uma proposta educacional que foi introduzida nalgumas escolas no ano letivo de 2013/2014, para procurar lutar cotnra os estereótipos de género. Este projeto foi muito criticado por associações religiosas e conservadoras, e acabou por ser cancelado.

A ministra Fleur Pellegrin considera que o protesto que levanta agora a "Zizi Sexuel" estará relacionada com essa radicalização da sociedade francesa. "Na altura isto não levantou qualquer problema. Resulta que entretanto tivemos este debate sobre o género."

A Cité des Sciences defende-se com o pretexto da ciência. "A ciência não tem Tabus," disse ao Libération a comissária da exposição, Maud Gouy. "A Cité des Sciences não tem de que se defender, porque tem legitimidade na matéria das exposições, para as quais se apoia num comité científico."

A exposição atraiu 340 mil visitantes em 2007, e estará agora na Cité des Sciences até 2 de agosto do ano que vem.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG