Espanha quer levar conflito sobre Gibraltar à ONU

A Espanha está a estudar a possibilidade de levar o conflito com o Reino Unido sobre Gibraltar à ONU e a outros fóruns internacionais, procurando ainda o apoio da Argentina, divulgaram hoje os jornais espanhóis La Razón e El País.

"O Governo está a estudar levar a expansão de Gibraltar ao tribunal da ONU", escreve o La Razón na sua primeira página, já o El País diz "Negócios Estrangeiros estudam levar o conflito de Gibraltar aos fóruns internacionais".

O conflito latente entre Espanha e Reino Unido em torno de Gibraltar - um território de sete quilómetros quadrados cedido ao Reino Unido em 1713, com uma população de 30 mil habitantes -- reacendeu-se no final de julho devido à questão dos direitos de pesca em torno do "Rochedo".

Estas medidas, de acordo com o La Razón, têm como objetivo apresentar o contencioso entre a Espanha e o Reino Unido sobre Gibraltar diante do Tribunal Internacional de Justiça de Haia, na Holanda.

Esta nova crise entre os dois países recomeçou quando o Governo de Gibraltar lançou 70 blocos de cimento no mar com o objetivo de ganhar terreno, o que estaria a prejudicar os pescadores espanhóis na área.

O Governo espanhol decidiu, então, estudar meios para compensar as perdas dos pescadores, como a criação de uma taxa de 50 euros na fronteira entre Espanha e Gibraltar.

O El País destaca que o ministro dos Negócios Estrangeiros, José García-Margallo, analisa a viabilidade de denunciar o Reino Unido diante da ONU e mesmo no Tribunal de Haia.

O ministro García-Margallo visitará a Argentina, segundo o jornal El País, em setembro, e analisará com o seu homólogo argentino, Hector Timerman, a possibilidade de a Espanha e a Argentina fazerem uma frente comum na ONU por Gibraltar e pelas Malvinas, ambos territórios do Reino Unido.

García-Margallo irá discutir ainda a proposta do Governo da Argentina para uma compensação à companhia espanhola Repsol pela estatização de 51% de suas ações na petrolífera local YPF.

A Argentina é membro do Conselho de Segurança no biénio 2013-2014 e "poderia incluir, ou tentar ao menos, a questão de Gibraltar na agenda deste organismo da ONU", referiu ainda o El País.

As Ilhas Malvinas (Ilhas Falkland) são um dos territórios britânicos ultramarinos no Atlântico Sul.

O Reino Unido e a Argentina disputam o direito sobre as ilhas, no Atlântico sul, tendo ocorrido vários conflitos armados, o último dos quais em 1982. Recentemente, a Argentina voltou a reivindicar os seus direitos sobre as ilhas.

"Ainda que o Reino Unido", acrescenta o El País sobre Gibraltar, "tenha o direito de veto neste fórum, deveria abster-se num tema que o afeta diretamente".

O diário La Razón, por sua vez, inclui o resultado de uma pesquisa feita para o jornal que indica que em 500 entrevistados 85,4% disse que Gibraltar é espanhol e deve ser devolvido.

Cerca de 84% acreditam que a Espanha deveria ser mais firme com o Reino Unido e 75,4% dos entrevistados consideram que as autoridades de Gibraltar provocam a Espanha.

Outros 69,4% estão de acordo que a ONU deveria intervir no assunto e exigir a devolução de Gibraltar, já 91,2% pensam que não é correto que a polícia gibraltina persiga pescadores espanhóis e 92,4% crê ser inadmissível que Gibraltar amplie a sua superfície submergindo blocos de cimento para ganhar terreno ao mar.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG