Eleições serão "destrutivas" sem acordo com pró-russos

O ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Serguei Lavrov, classificou hoje como "destrutiva" a realização de eleições presidenciais antecipadas, a 25 de maio, na Ucrânia, enquanto se verifica uma insurreição pró-russa no leste do país.

"Penso que organizar umas eleições sem ter encontrado uma base de entendimento com o leste e o sul [russófonos] da Ucrânia é muito destrutivo para o país", declarou à estação televisiva RT.

"Eles devem começar por se assegurar de que todas as regiões ucranianas se sentem bem, que elas são bem ouvidas e envolvidas, empenhadas, nesse processo em pé de igualdade", acrescentou.

Estão marcadas para 25 de maio eleições presidenciais antecipadas na Ucrânia para escolher um poder legítimo através do voto, após a deposição, no final de fevereiro, do Presidente pró-russo Viktor Ianukovich, na sequência de três meses de contestação que terminaram num banho de sangue e na perda da península da Crimeia, anexada à Rússia.

Mas os rebeldes separatistas do leste ucraniano exigem a realização de um referendo -- como o que decorreu a 16 de março na Crimeia -- sobre a "federalização".

Esta opção, com vista à unificação à Rússia, é defendida por Moscovo, que visa assim garantir os "interesses legítimos" das regiões russófonas do leste e do sul do país, antes ou o mais tardar a 25 de maio.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG