Economista proposto pelos socialistas designado PM

O presidente búlgaro, Rossen Plevneliev, encarregou hoje o economista independente Plamen Orecharski, proposto pelo partido socialista, de formar governo, horas depois de o ex-primeiro-ministro Boiko Borissov ter renunciado por falta de apoio no parlamento.

"Encarrego o candidato Plamen Orecharski de formar governo", disse o presidente.

Ex-ministro das Finanças (2005-2009) no governo do líder socialista Serguei Stanichev, Orecharski, um independente, prometeu adotar medidas de emergência contra a pobreza e a conter os preços da energia.

O primeiro-ministro designado prometeu designar o clima de negócios para encorajar a criação de emprego e fazer reformas no sistema público de saúde.

"Farei todos os possíveis (...) para realizar as reformas necessárias", disse.

Um aumento importante das tarifas de eletricidade em janeiro passado deu origem a uma série de protestos, marcados pela morte de seis pessoas que se imolaram pelo fogo, que levou à demissão do primeiro-ministro conservador Boiko Borissov.

Borissov, cujo partido, Gerb, venceu as eleições legislativas de 12 de maio, renunciou hoje a formar governo por não ver "hipótese nenhuma" de obter o apoio do parlamento, onde os socialistas do PSB, os liberais do MDL e os ultranacionalistas do Ataka se aliaram contra os conservadores.

Os socialistas (84 deputados) já conseguiram o apoio dos liberais (36) e a promessa de abstenção do ultranacionalista Ataka (23 deputados).

O governo deve ser votado na próxima terça-feira, precisando do voto favorável de uma maioria simples dos 240 deputados do parlamento.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG