Detido suspeito de ter esfaqueado soldado francês

As autoridades francesas anunciaram terem detido hoje um homem suspeito de ter esfaqueado, no passado sábado, em Paris, um soldado francês.

"O alegado perpetrador do ataque contra um soldado na tarde de sábado (...) foi detido esta manhã", disse o ministro do Interior francês, Manuel Valls, num comunicado citado pela agência AFP.

O comunicado indica que o alegado autor do ataque foi detido na localidade de La Verrière, no departamento de Yvelines, situado na periferia oeste de Paris.

Fontes próximas da investigação, citadas pela agência noticiosa francesa, indicaram que o suspeito, 22 anos, tem sido um seguidor do "tradicionalismo ou mesmo do islamismo radical nos últimos três ou quatro anos". Contudo, afigura-se necessário algum cuidado neste caso, na medida em que a investigação está ainda numa fase muito preliminar, alertaram as mesmas fontes, apontando que o jovem não é conhecido como um 'jihadista'.

O ataque, que teve lugar num centro comercial e de transportes subterrâneo, ocorreu escassos dias depois de um outro, em Londres, perpetrado igualmente contra um militar.

Apesar disso, as autoridades não estabeleceram qualquer ligação entre os dois casos.

Cedric Cordiez, de 23 anos, foi esfaqueado no pescoço quando patrulhava uma zona empresarial com mais dois colegas, tendo ficado ferido na sequência do ataque, cujo autor desapareceu na multidão.

Fontes próximas da investigação indicaram, esta segunda, que o suspeito foi 'apanhado' a rezar num vídeo poucos minutos antes do ataque e que um saco plástico contendo uma garrafa, uma faca e lixo foi descoberto nas proximidades.

Cedric Cordiez recebeu alta hospitalar na manhã de segunda-feira, tendo regressado à sua unidade militar.

Outros conteúdos GMG