Detido líder do partido neonazi Aurora Dourada

O líder do partido neonazi grego Aurora Dourada, o ex-militar Nikolaos Mijaloliakos, e outros destacados quadros da estrutura foram detidos hoje pela polícia, na sequência da morte do cantor de hip-hop e ativista Pavlos Fyssas, assassinado na semana passada.

Entre os detidos, que foram levados para a Direção Geral da Polícia, encontra-se também o porta-voz do partido no parlamento, Ilyas Kasidiaris, e o secretário local da organização do bairro de Nikea, a que pertencia Yorgos Rupakias, o assassino confesso de Fyssas.

As detenções ocorreram no mesmo dia em que foi convocada uma manifestação para exigir a demissão do Governo, por parte de uma associação de reservistas das forças especiais do Exército e outra de militares no ativo, ambas de ideologia ultranacionalista.

No total, as autoridades emitiram 38 mandados de detenção contra a cúpula do Aurora Dourada, incluindo seis deputados, dos quais até ao momento se cumpriram 13.

Vários deputados e destacados responsáveis foram detidos em casa durante a madrugada, enquanto outro, o deputado Ilyas Panayótaros, se entregou pessoalmente na Direção Geral da Polícia.

Na justificação da ordem de detenção acusa-se os membros da Aurora Dourada de pertencerem a uma "organização criminosa" e de participarem em numerosos crimes, entre eles homicídio, atentado à bomba e agressões físicas.

Está também em curso uma investigação sobre as fontes de financiamento do partido, na qual, segundo o canal Skai (grego), se acusa o Aurora Dourada, de lavagem de dinheiro, extorsão e participação em tráfico de seres humanos, noticia a agência EFE.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG