Deputado grego foi expulso e gritou "Viva Hitler"

Um deputado do partido neo nazi grego Aurora Dourada, que foi expulso hoje de um debate parlamentar por insultos, gritou "Heil Hitler" (Viva Hitler) no momento em que abandonava o hemiciclo.

O vice-presidente do parlamento, Ioannis Dragassakis, deputado do partido de esquerda Syriza, que dirigia a sessão parlamentar sobre questões de atualidade ordenou a "exclusão" de Panayiotis Iliopoulos, deputado do Aurora Dourada que depois de ter provocado o parlamento com insultos ao Syriza e aos deputados em geral gritou três vezes "Heil Hitler" quando abandonava a sala na companhia de outros deputados do partido de extrema-direita.

De acordo com a AFP, as imagens de televisão que captaram o momento indicam que Iliopoulos foi o autor dos gritos e não Christos Papas, considerado um dos ideólogos do Aurora Dourada e que recentemente fez publicamente a apologia do nazismo e de Hitler.

Iliopoulos provocou o incidente inicial no parlamento ao ironizar que "Alexis (Tsipras) dorme o sono dos justos e que sonha em ser o primeiro-ministro" durante o debate parlamentar, uma hora antes de ter sido expulso.

O presidente em exercício, membro do Syriza, partido liderado por Alexis Tsipras, pediu-lhe primeiro para se comportar de forma digna e ameaçou o deputado de extrema-direita com a possibilidade de vir a adotar medidas mais duras de acordo com as normas parlamentares.

"O Syriza é um bando patético", afirmou então Iliopoulos quando os deputados de esquerda, que classificou de "rebanho de cabras", aplaudiram a repreensão do vice-presidente do parlamento.

Após os insultos, o presidente em exercício do parlamento ordenou então a retirada do deputado e de todo o grupo parlamentar do Aurora Dourada.

"Esta medida é muito rara, há vinte anos que não era utilizada", disse à AFP um responsável pelos serviços de imprensa do parlamento grego.

Com um discurso político claramente xenófobo e anti-semita, o Aurora Dourada utiliza como símbolo um emblema muito parecido com a cruz gamada dos nazis e foi pela primeira vez eleito para o parlamento grego em junho de 2012 tendo conseguido sete por cento dos votos, atingindo os 18 deputados.

A assembleia já tinha suspendido em outubro de 2012 a imunidade parlamentar a Iliopoulos e a outro deputado do Aurora Dourada, Yorgos Germanis, acusados de ataques contra imigrantes.

Após críticas do Conselho da Europa e de organizações de direitos humanos e do Congresso Mundial Judaico contra o Aurora Dourada, a polícia grega criou recentemente um serviço de luta contra o racismo.

O Ministério da Justiça grego está a tentar elaborar um projeto de lei para reforçar o arsenal jurídico do país contra o racismo e o "negacionismo", que provoca uma forte polémica entre a direita e a esquerda no país.

Os gregos, que conseguiram enfrentar a invasão das tropas de Mussolini em 1940, durante a Segunda Guerra Mundial, foram alvo da "Operação Marita" lançada pela Alemanha nazi em abril de 1941, que obrigou à retirada das forças expedicionárias britânicas e à ocupação do país até outubro de 1944, data em que os alemães e os aliados búlgaros saíram do país.

De acordo com historiadores, mais de 60 mil gregos foram executados por alemães, italianos e búlgaros, além da deportação de judeus e da grande fome provocada pela ocupação e que fez milhares de mortos em todo o país.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG