Depois da girafa, zoo abate quatro leões saudáveis

O jardim zoológico de Copenhaga volta a estar envolvido numa polémica com o abate de animais. Mês e meio depois das imagens que chocaram o mundo da morte e dissecação da girafa Marius, quatro leões foram abatidos para dar lugar a um novo. Dois deles tinham apenas dez meses.

Tal como a girafa de 18 meses, Marius, os leões (todos da mesma família) eram animais saudáveis. Segundo o The Guardian, os animais foram abatidos na segunda-feira, no mesmo dia em que chegou o novo leão que irá procriar com as duas fêmeas que estão no zoo.

"Devido ao orgulho dos leões e ao seu comportamento natural, o zoo teve de abater dois leões velhos e dois jovens", justificou o jardim zoológico dinamarquês. Ou seja, os leões não teriam capacidade para se defender do novo membro do zoo, que "os mataria à primeira oportunidade que tivesse", salientou o zoo. Acrescentou que tentou encontrar uma nova casa para a família de leões, mas que não conseguiu.

Ao contrário do que aconteceu com Marius, a girafa, os leões não foram dissecados publicamente. Há mês e meio, Marius foi abatida a tiro, dissecada e desmembrada à frente de crianças, sendo depois dada como alimento para os leões, num espectáculo público que foi filmado e chocou muitos defensores dos animais e não só. O diretor do zoo chegou mesmo a receber ameaças de morte. Na altura, a decisão foi justificada para evitar a consanguinidade. O animal não foi transferido por, segundo o zoo, impedimento das leis europeias.

Exclusivos