Conservadores britânicos propõem rutura com a UE

O Partido Conservador britânico vai hoje apresentar uma proposta legislativa que prevê a convocação de um referendo para os ingleses decidirem se querem continuar a ser membros da União Europeia, a ser realizado até ao final de 2017.

O primeiro-ministro, David Cameron, acredita assim ser possível diminuir a pressão da ala eurocética do seu partido, depois de um grupo de deputados ter ameaçado desafiá-lo para uma votação Câmara dos Comuns (parlamento).

O eurocético John Baron lamentou o discurso da rainha, na semana passada, que, ao definir as prioridades do Governo para o ano, deixou de fora a promessa de legislar para a realização de um referendo sobre a permanência ou a saída do bloco comunitário.

Com a proposta legislativa, os líderes do partido esperam que o primeiro-ministro se comprometa a promover a auscultação dos britânicos, que, se for aprovada, se transforma em lei.

O Presidente dos EUA, Barack Obama, forneceu na segunda-feira durante um encontro em Washington o seu apoio à estratégia europeia do primeiro-ministro britânico David Cameron, confrontado com uma rebelião no seu partido Conservador sobre a permanência na UE.

Após sublinhar que devem ser os britânicos a decidir o seu próprio destino, Obama decidiu manifestar apoio ao plano de Cameron sobre uma renegociação do estatuto de Londres na União Europeia (UE), antes da convocação de um referendo sobre a permanência ou a saída do bloco comunitário.

"Para mim faz algum sentido a posição de David (Cameron), de que provavelmente é importante ver se é possível uma solução para o que funciona mal numa relação tão importante, antes de promover uma rutura", disse Obama durante uma conferência de imprensa conjunta com Cameron na Casa Branca.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG