Cónego demite-se perante risco de expulsão violenta

A possibilidade do uso de violência na expulsão de centenas de manifestantes que acamparam há quase duas semanas no exterior da Catedral de S. Paulo, em Londres, levou hoje o sacerdote responsável pelo templo a demitir-se.

O cónego Giles Fraser anunciou através do Twitter a demissão tomada "com grande pena e tristeza" mas que justificou por acreditar que "foi iniciada uma estratégia de ação que pode resultar em violência em nome da igreja", disse ao diário Guardian.

Fraser que intercedeu junto da polícia quando esta tentou afastar alguns manifestantes da escadaria da igreja, no primeiro dia do protesto, há quase duas semanas.

Hoje, o bispo de Londres, Richard Chartres, cuja sede é Catedral, propôs ao movimento "Ocupar Londres" organizar um debate com políticos e personalidades do sector financeiro para discutir as razões do protesto "se os manifestantes dispersarem pacificamente".

O acampamento junto à Catedral começou a 15 de Outubro, no âmbito do movimento que mobilizou no mesmo dia milhares de pessoas em cerca de 80 países contra a desigualdade económica e social e o poder do sector financeiro.

Porém, todos os pedidos para abandonarem o local têm sido rejeitados pelo movimento, cujas decisões são deliberadas em assembleias populares.

Depois de uma semana fechada por questões sanitárias e de segurança, a Catedral disse que irá reabrir as portas na sexta feira após algumas mudanças no acampamento, que se estima reunir cerca de 200 tendas.

O movimento criou na semana passada um segundo acampamento também em Finsbury Square, na City, o centro financeiro de Londres.

A autoridade responsável, a City of London Corporation, anunciou aguardar a resposta um parecer legal para tentar expulsar os manifestantes, os quais prometeram repudiar qualquer acção nos tribunais.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG