Carlos herdou 688 mil euros de mortos no seu ducado

O filho da rainha Isabel II recebeu cerca de 688.800 euros (552 mil libras) em 2011-2012 de pessoas que morreram no seu ducado da Cornualha sem deixar testamento ou herdeiros, de acordo com contas oficiais.

Segundo uma regra que remonta à Idade Média chamada "bona vacantia", literalmente propriedades disponíveis, os bens não reclamados pertencentes a uma pessoa falecida no ducado da Cornualha passam automaticamente para a posse deste ducado que pertence ao príncipe Carlos.

No ano fiscal que terminou a 31 de março de 2012, o ducado da Cornualha recebeu 522 mil libras graças a esta regra.

A quase totalidade desse valor (450 mil libras) foram entregues a organizações de caridade, enquanto alguns ficam depositados para eventuais reclamações, de acordo com as contas do ducado.

No total, desde 2006, o ducado recebeu 1 milhão de libras (cerca de 1,2 milhões de euros) graças à "bona vacantia", divulgou a imprensa britânica.

Na Grã-Bretanha, os bens pertencentes a pessoas falecidas que não deixaram testamento ou não têm descendentes revertem a favor do Estado, com a exeção dos ducados da Cornualha e Lancaster, que revertem para o príncipe Carlos e a Isabel II, respetivamente.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG