Britânico que morreu na Macedónia afinal não tinha ébola

O turista britânico que morreu na Macedónia após ter dado entrada no hospital com sintomas que levavam à suspeita de ébola não estava infetado com o vírus, segundo o resultado da análise realizada num laboratório alemão, anunciou hoje o ministério da Saúde macedónio.

"O paciente não tinha o vírus do ébola", garantiu à imprensa a porta-voz do ministério da Saúde, Jovanka Kostovska.

As autoridades macedónias tinham já informado sexta-feira que as causas da morte do cidadão britânico provavelmente não estavam ligadas ao ébola, mas esperavam ainda o resultado da análise realizada num laboratório de Hamburgo como contra-prova de um teste feito na Macedónia.

Espera-se agora os resultados da autópsia para determinar a causa da morte do homem, cuja identidade não foi revelada - apenas se sabe que nasceu em 1956.

Enquanto aguardavam pelo resultado da análise alemã, as autoridades macedónias mantiveram em quarentena 25 pessoas do hotel onde pernoitara o britânico, bem como um seu compatriota e dez outras pessoas que estiveram em contacto com ele à sua chegada ao hospital.

A quarentena foi entretanto levantada.

Exclusivos