Bolsas europeias no vermelho após agravamento da tensão entre Rússia e Ucrânia

As principais bolsas europeias seguiam hoje a cair, depois do agravamento da tensão política entre a Ucrânia e a Rússia, após Vladimir Putin ter pedido autorização ao Parlamento para enviar militares para a região ucraniana de Crimeia.

Cerca das 08:20 em Lisboa, o Eurostoxx 50, o índice que representa as principais empresas da zona euro, seguia em baixa de 1,97%, para 3.087,29 pontos.

Londres, Paris e Frankfurt seguiam igualmente em terreno negativo, com perdas de 0,63%, 1,73% e 2,38%, respetivamente.

Madrid e Milão seguiam igualmente em queda acentuada, com perdas de 2,02% e 2,3%.

A bolsa de Lisboa seguia também em terreno negativo, a perder 1,27%, para 7.262,66 pontos.

Os mercados estão a negociar por todo o mundo pressionados pela tensão provocada pela intervenção militar russa na Ucrânia, com os mercados asiáticos a encerrarem no vermelho.

Em Moscovo, o principal índice bolsista (RTS) sofria uma quebra de 9,51%.

A tensão entre a Ucrânia e a Rússia agravou-se na última semana, após a queda do ex-presidente Ianukovich, por causa da Crimeia, península do sul do país onde se fala russo e está localizada a frota russa do Mar Negro.

A câmara alta do parlamento russo aprovou no sábado, por unanimidade, um pedido do presidente Vladimir Putin para autorizar "o recurso às forças armadas russas no território da Ucrânia".

Esta decisão surgiu um dia depois da denúncia da Ucrânia de que a Rússia fez uma "invasão armada" na Crimeia.

Para hoje está convocada uma reunião de emergência dos ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia, em Bruxelas.

O euro arrancou hoje em baixa no mercado de divisas de Frankfurt a trocar-se a 1,3791 dólares, enquanto o barril de crude Brent para entrega em abril abriu em alta no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres a cotar nos 110,75 dólares, mais 1,68 dólares face ao fecho de sexta-feira.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG