Berlim expulsa chefe dos serviços secretos norte-americanos

O Governo alemão anunciou a expulsão do representante dos serviços secretos norte-americanos destacado na Alemanha, no âmbito do caso de espionagem que está a abalar as relações entre os dois países. Esta é uma medida rara entre parceiros da NATO, escreve a AFP.

"Foi pedido ao representante dos serviços secretos norte-americanos na embaixada dos EUA que deixe a Alemanha", afirmou o porta-voz do Governo de Angela Merkel, Steffen Seibert, num comunicado.

A expulsão surge "em reação à falta de cooperação constatada há muito tempo nos esforços para esclarecer" a atividade dos agentes dos serviços secretos norte-americanos na Alemanha, explicou um deputado alemão, Clemens Binninger, presidente da comissão de controlo parlamentar das atividades de dos serviços de inteligência, que se reuniu hoje em Berlim.

Pela segunda vez em cinco dias, a justiça alemã abriu um inquérito por causa de um alegado espião que trabalhava para os EUA. Na semana passada, foi revelado que um agente da secreta alemã trabalhava também para Washington. Mais uma polémica, depois da revelação de que os norte-americanos espiavam o telemóvel pessoal da chanceler Angela Merkel.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG