Bento XVI regressa para coabitação inédita no Vaticano

Dois meses após a sua resignação histórica, o Papa emérito Bento XVI, de 86 anos de idade e visivelmente cansado, regressa hoje ao Vaticano, onde se instalará a poucos metros do seu sucessor, o Papa Francisco, numa coabitação inédita na história do pequeno Estado.

O regresso de Bento XVI deverá ser, no entanto discreto. Depois de passar dois meses na residência de verão de Castel Gandolfo, a 25 km do sudeste de Roma, Joseph Ratzinger vai agora instalar-se no mosteiro "Mater Ecclesiae", o qual foi renovado de propósito para o receber.

Bento XVI regressará ao Vaticano da mesma forma em que partiu a 28 de fevereiro: de helicóptero. A aterragem está prevista para as 16.30 (15.30 em Portugal). "Será dignamente acolhido", assegurou o porta-voz da Santa Sé, Federico Lombardi.

Este não precisou, para já, segundo a AFP, se o Papa Francisco vai estar presente no heliporto para acolher o seu antecessor, nem se serão divulgadas fotografias ou imagens filmadas da chegada. O Papa Francisco tem multiplicado os gestos de amizade em relação a Bento XVI, tendo-o visitado em Castel Gandolfo, celebrado missas em sua homenagem e telefonado várias vezes, uma das quais para lhe desejar feliz aniversário.

Pela primeira vez na História, um Papa em exercício e um Papa na reforma vão coabitar a algumas centenas de metros de distância naquele que é o mais pequeno Estado do mundo.

Exclusivos

Premium

Vida e Futuro

Formar médicos no privado? Nem a Católica passa no exame

Abertura de um novo curso de Medicina numa instituição superior privada volta a ser chumbada, mantendo o ensino restrito a sete universidades públicas que neste ano abriram 1441 vagas. O país está a formar médicos suficientes ou o número tem de aumentar? Ordem diz que não há falta de médicos, governo sustenta que "há necessidade de formação de um maior número" de profissionais.