Bancos utilizam "indignados" em campanha publicitária

Os bancos cooperativos alemães deram hoje uma nova dimensão ao movimento internacional dos 'indignados', ao utilizarem uma imagem de uma manifestação de activistas numa campanha publicitária.

A imagem em questão é de um protesto de 'indignados' de rostos cobertos em Frankfurt (oeste da Alemanha) e foi hoje publicada, numa página inteira, por alguns dos principais jornais alemães. "Queremos uma democracia directa local, em vez do centralismo de Berlim ou Bruxelas", pode ler-se num cartaz exibido por um manifestante retratado na imagem, cuja identidade está protegida por uma máscara -- imortalizada no filme 'V de Vingança' -, conotada habitualmente com o já famoso grupo de 'hackers' Anonymous e movimentos anti-capitalistas.

"Cada pessoa vibra por alguma coisa. Nós abrimos o caminho", afirma a assinatura da campanha dos bancos Volksbanken e Raiffensenbanken. "Queremos assinalar com esta campanha que levamos a sério cada pessoa (...). É também digna para os manifestantes, que compreendemos [as reivindicações] no contexto da crise financeira", afirmou uma porta-voz da federação dos bancos cooperativos BVR, citada pela agência noticiosa francesa AFP. A mesma representante salientou que os bancos terão de ter em conta no futuro três grandes factores: a economia real, a participação dos cidadãos e a humanidade. "São exactamente estes factores que são importantes para os bancos cooperativos", concluiu.

Os bancos cooperativos são caracterizados por uma direcção participativa, onde os membros detêm a dupla qualidade de cliente e proprietário e onde o voto por pessoa é aplicado nas assembleias-gerais, em detrimento do voto pelo número de acções. Na Alemanha existem 1.138 bancos cooperativos, representados nomeadamente pelos grupos DZ Bank e WGZ Bank. A imagem da campanha publicitária foi tirada no passado dia 15 de Outubro, dia marcado por uma jornada de protesto contra os excessos do poder financeiro e para reclamar uma mudança global democrática, que envolveu quase mil cidades em todo o mundo.

Em Frankfurt, onde está localizada a sede do Banco Central Europeu (BCE), vários milhares de manifestantes responderam ao apelo internacional e concentraram-se junto das instalações da instituição. Mais de uma centena de activistas permanecem acampados junto do edifício do BCE sob o mote "Occupy Frankfurt" ("Ocupar Frankfurt, em português). "A partir do momento que o nosso nome 'Occupy Frankfurt' não é mencionado, não temos qualquer problema com esta publicidade", disse um membro do grupo de ativistas, Frank Stegmaier, em declarações à agência noticiosa AFP.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG