Autarca defende que Hitler não matou ciganos suficientes

O presidente da câmara de uma cidade em França foi condenado a 3.000 euros de multa por apologia de crime contra a Humanidade, depois de ter declarado que Hitler "não matou o número suficiente" de ciganos.

O autarca tinha feito a declaração num momento de altercação com pessoas que ocupavam terrenos agrícolas da sua comunidade e foi citado por um jornalista que se encontrava no local, provocando um escândalo nacional.

Gilles Bourdouleix, presidente da câmara de Cholet desde 1995 e deputado desde 2002, foi forçado a abandonar o partido - UDI (União dos Democratas Independentes, centro direita) devido a esta situação.

O autarca incorria numa pena de cinco anos de prisão e 45.000 euros de multa.

"O comportamento de Gilles Bourdouleix é totalmente intolerável para a ordem pública. É uma afronta aos nossos valores sociais, são um fomento de desordem, de ódio e de violência", disse o representante do Ministério Público no tribunal.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG