AS PRINCIPAIS PROPOSTAS E DECLARAÇÕES DOS CANDIDATOS

Os temas económicos dominaram o debate eleitoral que hoje colocou frente a frente os candidatos dos dois maiores partidos espanhóis à presidência do governo, Alfredo Pérez Rubalcaba (PSOE) e Mariano Rajoy (PP).

Estas são as propostas e declarações essenciais feitas pelos dois dirigentes.

Alfredo Pérez Rubalcaba (PSOE)

- Adiar dois anos, de 2013 para 2015, os planos de ajuste da União Europeia, para evitar que a excessiva austeridade cause mais problemas ao crescimento e ao emprego.

- Estado pagará Segurança Social às empresas de menos de 50 empregados que criam novos postos de trabalho. Um apoio que começará em 100 por cento no primeiro ano e descerá até aos 25 por cento no quarto ano.

- Estado subvencionará também os contratos de formação.

- Novo imposto sobre as grandes fortunas, para substituir o actual Imposto do Património.

- Nova taxa sobre os bancos.

- Intervenção pública para dinamizar a economia e criar emprego, transformando o Instituto de Crédito Oficial (ICO) numa entidade financeira com mais potência para dar crédito.

- Revisão do orçamento das Forças Armadas, apostando na tecnologia.

- Mais combate à fraude fiscal.

- Prioridade é preservar saúde pública.

- Revisão do sistema eleitoral, incluindo com listas abertas nos partidos, para aproximar cidadãos e política.

- Abolição das Deputações Provinciais.

- Revisão dos horários de trabalho para conciliar vida laboral e familiar.

Mariano Rajoy (PP)

- Garante que não reduzirá apoios aos desempregados.

- Adopção de um fundo capitalização para despedimento, conhecido como 'modelo austríaco'.

- Critica decisão do governo socialista dar dinheiro à banca e insiste que não dará "nem um euro" de dinheiro público às entidades financeiras.

- Condena "desculpa de sempre" da crise para justificar situação actual.

- Fixará responsabilidade para gestores públicos que tomem decisões de gasto sem apoio orçamental.

- Fixará tecto de gasto e de endividamento das administrações.

- Defesa de maior flexibilidade do mercado laboral, promete reforma laboral.

- Defende liberdade de empresas para fixar convénios com trabalhadores.

- IVA paga-se apenas quando se paguem as facturas.

- Trabalhadores por conta própria (autónomos em Espanha) que contratem um trabalhador terão apoio de três mil euros.

- Defesa da criação do emprego como alavanca para as medidas sociais.

- Pensões não serão congeladas.

- Defende lei de qualidade educativa.

- Manutenção das Deputações Territoriais.

- Plano de poupança e racionalização do setor público, cortando duplicidades de competências.

- Pacto nacional com a oposição sobre "grandes temas".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG