Amor entre cegonhas sobrevive à distância

Duas cegonhas estão separadas milhares de quilómetros, mas a história de amor entre estes animais é mais forte que a distância. A fémea, que se encontra na Croácia, não pode voar e, este ano, foi novamente visitada pelo seu amante pela décima segunda vez consecutiva.

O macho, batizado por Cliquetis, voou cerca de 13 500 km, de África do Sul até à Croácia, para estar com a sua amada, que não pode voar devido a uma ferida numa das asas.

Há 20 anos o porteiro de uma escola primária, Stjepan Voric, que vive na vila de Brodski Varos, no leste da Croácia, encontrou Petite ferida pelos caçadores e decidiu cuidar dela desde então.

Cliquetis nunca esqueceu o caminho que separa os dois amantes e todas as primaveras o casal reencontra-se. Este ano o macho chegou mais cedo, tendo surpreendido Stjepan Voric. "Ele (Cliquetis) acordou-me. Este ano chegou com antecedência", revela Voric na edição diária online da Vecernji List, citado pela AFP. Nesta história de amor, o pai cuida dos filhos e ensina-os a voar antes de partir para a África do Sul.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG