Alex Salmond diz "Yes, we can" à independência da Escócia

"Yes we can (sim, nós podemos)", disse o primeiro-ministro escocês, Alex Salmond, a Barack Obama, para reivindicar o direito da Escócia à independência. A resposta surgiu depois de o Presidente dos EUA ter defendido um Reino Unido "unido".

Na cimeira do G7, em Bruxelas, Barack Obama manifestou-se hoje contra a independência da Escócia. Em resposta à sua oposição, Alex Salmond, respondeu recorrendo a um 'slogan' que ficou muito conhecido após ter sido usado pelo Presidente dos Estados Unidos na sua campanha para a presidência em 2008: "Yes, we can (sim, nós podemos)". Agora, Salmond usou-o para defender a independência da Escócia.

"Estamos a trabalhar para garantir a vitória do voto a favor da independência (no referendo da autodeterminação), em setembro, e fazer da Escócia uma terra de oportunidades. E a nossa mensagem para os escoceses nos próximos meses vai ser: 'Yes, we can'", disse Alex Salmond, em Edimburgo.

"Uma Escócia independente significa que os Estados Unidos terão dois grandes amigos e aliados e não apenas um", argumentou o primeiro-ministro escocês, respondendo assim aos comentários feitos pelo Presidente dos Estados Unidos no final da cimeira do G7, em Bruxelas, durante uma conferência de imprensa conjunta com o primeiro-ministro britânico, David Cameron, na qual se opôs à independência escocesa.

"O Reino Unido sempre foi um grande parceiro para nós" e "temos um claro interesse em que um de nossos aliados mais próximos permaneça, um parceiro eficaz, robusto unido e forte", disse Obama na conferência.

No entanto, acrescentou: "Mas, no final, essas são decisões que devem ser tomadas pelas pessoas lá."

Exclusivos

Premium

Livro

Antes delas... ninguém: mulheres que desafiaram o domínio masculino

As Primeiras - Pioneiras Portuguesas num Mundo de Homens é o livro com as biografias de 59 mulheres que se atreveram a entrar nas profissões só de homens. O DN desvenda-lhe aqui oito dessas histórias, da barrista Rosa Ramalho à calceteira Lurdes Baptista ou às 'Seis Marias' enfermeiras-paraqueditas, entre outras