Aldeias à venda pelo preço de um apartamento na cidade

Um andar em Madrid pode custar entre 200 e 300 mil euros. Mas por 62 mil euros pode-se comprar uma aldeia inteira.

Em Espanha estão à venda várias aldeias, muitas delas ao preço de um apartamento numa grande cidade, como Madrid, o que está a despertar o interesse de investidores britânicos e do Norte da Europa. As adegas também estão a ser muito procuradas por empresários chineses e russos, segundo Rafael Canales, porta-voz do portal aldeasabandonadas.com que comercializa propriedades rurais, incluindo casas senhoriais e palacetes.

Segundo o jornal espanhol "ABC", atualmente estão à venda em Espanha cerca de 60 aldeias. Mais de metade estão localizadas na Galiza mas também se podem encontrar aldeias para venda nas Astúrias, Extremadura, Andaluzia e Catalunha. Os dados oficiais apontam para quase três mil povoações abandonadas, embora a grande maioria não possa ser vendida por não estar devidamente documentada (não é conhecida a área total, estão sem escritura feita ou não se conhecem os proprietários).

As oportunidades de negócio são muitas e Rafael Canales dá como exemplo uma aldeia, a 5 quilómetros de Pontenova, que está à venda por 62 mil euros e que tem uma "paisagem maravilhosa" com celeiro, árvores de fruto e zonas de cultivo.

"Com o dinheiro que é preciso desembolsar para comprar um andar em Madrid (entre 200 a 300 mil euros) podemos comprar uma aldeia para construir um hotel de charme com alguma facilidade", diz Rafael Canales. Na sua opinião, há um interesse crescente de pessoas cansadas do stress das grandes cidades pelo meio rural. "As pessoas querem regressar ás suas origens, ao campo e às aldeias", embora hoje em dia a maior procura venha do estrangeiro", diz.

85% das pessoas que procuram os serviços do 'aldeasabandonadas.com' são estrangeiros: ingleses, noruegueses, belgas, holandeses, franceses, alemães, norte-americanos, mexicanos, neozelandeses, australianos, chilenos e árabes.

Exclusivos

Premium

Livro

Antes delas... ninguém: mulheres que desafiaram o domínio masculino

As Primeiras - Pioneiras Portuguesas num Mundo de Homens é o livro com as biografias de 59 mulheres que se atreveram a entrar nas profissões só de homens. O DN desvenda-lhe aqui oito dessas histórias, da barrista Rosa Ramalho à calceteira Lurdes Baptista ou às 'Seis Marias' enfermeiras-paraqueditas, entre outras