143 pessoas detidas em manifestação em Londres

Mais de cem pessoas foram detidas no sábado em Londres durante uma manifestação, que reuniu cerca de 500 pessoas, contra a reeleição muito contestada do Presidente da República Democrática do Congo, Joseph Kabila, anunciou a polícia.

"Um total de 143 pessoas foram detidas no sábado durante uma manifestação no centro de Londres", refere a polícia num comunicado citado pela Agência France Press, precisando que 110 foram presas por distúrbios.

Os manifestantes saíram da zona autorizada, bloqueando uma avenida localizada perto da residência oficial do primeiro-ministro britânico, David Cameron, em Downing Street, antes de causaram danos em viaturas e lojas e de ameaçarem gente que passava na rua, referiu a polícia.

Depois de permanecerem várias horas reunidos no mesmo local, os manifestantes dirigiram-se para Whitehall, a rua dos edifícios governamentais, em direcção a Trafalgar Square, bloqueando a via.

"Nessa altura, um grupo separou-se do grosso da manifestação e começou a fazer estragos em viaturas e lojas e a ameaçar pessoas que passavam na rua", disse a polícia. "110 pessoas foram detidas por provocarem distúrbios", acrescentou.

A manifestação, em que de acordo com a polícia participaram entre 400 a 500 pessoas, tinha começado de forma pacífica.

Os manifestantes estavam munidos de cartazes onde proclamavam que o candidato da oposição na República Democrática do Congo, Etienne Tshisekedi, foi o vencedor das eleições presidenciais de 28 de Novembro, e rejeitavam o anúncio da vitória de Joseph Kabila.

"É um assassino. Ninguém votou nele. Não o queremos no Congo", disse à AFP Edwige, um estudante congolês de 22 anos.

Confrontos pós-eleitorais provocaram pelo menos oito mortos em todo o país, onde a situação continua tensa depois da reeleição muito contestada de Joseph Kabila e de ameaças do poder contra Etienne Tshisekedi, que se auto-proclamou Presidente.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG