Vida política custou a Romney 1350 milhões de euros

A decisão de ingressar na vida política custou ao republicano Mitt Romney mais que a derrota. No total, a atividade pública fez o republicano gastar cerca de 1350 milhões de euros.

Ao longo de duas décadas o republicano Mitt Romney participou em cinco campanhas, das quais saiu quatro vezes derrotado. Após todos os esforços na corrida à Casa Branca, voltou, sem emprego ou benefícios, a sua casa, diz o site do jornal espanhol 'ABC'.

De acordo com a revista americana 'Forbes', citada pelo 'ABC', se o republicano não tivesse optado pela política mas antes tivesse continuado na sua empresa de investimento de capital privado 'Bain Capital', o seu património atual rondaria os 1,530 milhões de euros, o que o poria no mesmo patamar que Ted Turner, fundador do canal televisivo 'CNN'. Entre 2004 e 2005 a empresa privada teve a sua melhor fase desde a década de 80, ou seja, Romney podia ter ganho ainda mais dinheiro em comissões.

No momento Romney tem apenas cerca de 175 milhões de euros, no entanto, já encontrou um emprego: será membro do conselho de administração da cadeia de hotéis 'Marriott', controlados pela família de nome homónimo. Com este cargo o republicano receberá entre 45 a 80 mil euros por ano, sendo que já anteriormente tinha sido conselheiro dos hotéis, visto ser amigo da família e ambos frequentarem a igreja Mórmon, diz o 'ABC'.

De acordo com o site do jornal americano 'The Washignton Post', amigos de Ann Romney alegam que a mesma está bastante triste desde a derrota porque acreditava que o destino do marido era ingressar na Casa Branca. Ainda assim, Romney foi visto nas ruas da Califórnia a conduzir um Audi Q7, um veículo de luxo, fabricado na Eslováquia, cujo modelo mais barato ronda os 20 mil euros.

Ann Romney passa, alegadamente, os dias a chorar, e o seu único consolo é a sua égua Rafalca, que gastou ao longo de 2011, cerca de 47 mil euros em cuidados, mais do que a maioria das famílias americanas, que têm um rendimento anual estimado em 43 mil euros, diz o 'ABC'.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG