Venezuelanos disseram último adeus a ex-miss e marido

Centenas de venezuelanos prestaram hoje, em Caracas, a última homenagem à antiga miss Mónica Spear Mootz e ao seu marido, assassinados a tiro segunda-feira por homens armados que assaltaram a viatura em que circulavam.

O enterro, que foi precedido por uma missa católica, foi ainda acompanhado por milhares de cidadãos, entre eles luso-descendentes, que nos últimos dias estiveram atentos às televisões para saber os pormenores e novidades sobre os assassinatos.

"Estive no cemitério, era tanta gente que foi impossível aproximar-me das urnas, apenas podiam passar grupos de 12 pessoas. Ainda que pareça uma coisa que só acontecem nos filmes, os assassinatos fazem parte do dia a dia venezuelano", explicou o luso-descendente Jhonny da Silva à agência Lusa.

Este luso-descendente manifestou ter sabido, "com algum agrado, que os autores destes assassinatos foram presos", mas mostrou-se "contrariado" porque "no país acontecem anualmente milhares de assassinatos que são tidos apenas como números estatísticos, notícias de jornais que horas depois já ninguém lembra".

A polícia venezuelana confirmou terça-feira que Mónica Spear Mootz, que estava de visita à Venezuela, foi assassinada depois de atacada por um grupo de homens armados, após o automóvel em que seguia ter avariado na estrada que liga Valência a Puerto Cabello.

Os assaltantes mataram também o marido de Mónica Mootz, o empresário, Thomas Henry Berry, de 49 anos e nacionalidade irlandesa.

No ataque ficou ainda ferida a filha do casal, de apenas cinco anos, que segundo a imprensa venezuelana desconhece que os pais foram assassinados.

Segundo as autoridades foram detidas sete pessoas, suspeitas de estar envolvidas no duplo assassinato, entre eles, dois adolescentes e uma mulher. Os suspeitos faziam parte de um grupo criminoso conhecido como "Os sanguinários" e entre eles está o alegado autor dos disparos.

O assassinato motivou reações de diversos setores da sociedade venezuelana e inclusive do próprio Presidente da República, Nicolás Maduro que anunciou que o seu Governo terá "mão de ferro" contra os assassinos de "homens e mulheres de bem" no país.

O presidente venezuelano sublinhou ainda que "não vai haver tolerância com os que pretendam manter ações deste tipo" e apelou "aos jovens que integram grupos violentos a cessarem os crimes já".

Nascida a 1 de outubro de 1984 em Maracaibo, Venezuela, Mónica Spear Mootz foi eleita Miss Venezuela em 2004 e quarta finalista no Miss Universo 2005.

Modelo e atriz, protagonizou várias telenovelas e séries dramáticas venezuelanas, entre elas "A minha Prima Céu", "Rua Lua", "Rua Sol" e "A Mulher Perfeita".

Recentemente, protagonizou a série "Super-espiã Internacional" para a rede norte-americana Telemundo. Radicada nos EUA, estava de visita à Venezuela.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG