Tempestade fez pelo menos 39 mortos

Furacão "Sandy", que entretanto passou a tempestade tropical, já fez pelo menos 39 mortos nos EUA e no Canadá e encontra-se entre os dez furacões que mais prejuízos causaram nos Estados Unidos.

15 pessoas morreram no Estado de Nova Iorque devido à chegada do furacão "Sandy", que entretanto passou a tempestade tropical, dez das quais na cidade de Nova Iorque, informou através do Twitter o governador do Estado, Andrew Cuomo.

Pelo menos duas pessoas morreram em Connecticut, três em Nova Jérsia, quatro na Pensilvânia e duas em Maryland. Também foi reportada a morte de uma mulher que seguia a bordo do HMS Bounty (o comandante do navio ainda está desaparecido) e outra que morreu do outro lado da fronteira, no Canadá.

O furacão "Sandy" que atingiu a costa dos Estados Unidos da América esta segunda-feira, poderá causar prejuízos na ordem dos 45 mil milhões milhões de dólares, bem como perdas para as seguradoras que oscilarão entre os cinco mil e os dez mil milhões de dólares, segundo as primeiras estimativas da companhia Eqecat.

Segundo avança o jornal espanhol "ABC", o furacão "Sandy" pode ter sido um dos dez furacões que mais prejuízos causaram na história dos Estados Unidos, segundo vários especialistas, embora os cálculos variem muito em função do modo como são contabilizados e do efeito da inflação acumulada.

Sem ter em conta a inflação, os furacões "mais caros" da história dos EUA foram o "Katrina", em 2005, que se calcula ter superado os 80 mil milhões de dólares, seguido do "Wilma", no mesmo ano, do "Charley", em 2004, do "Ivan", também em 2004, do "Andrew, em 1992 e do "Rita", em 2005, que custaram, todos eles, mais de 10 mil milhões de dólares. Tendo em conta o efeito da inflação, o mais caro de sempre, segundo o Instituto de Informação e Seguros norte-americano, foi o "Katrina".

Alguns economistas acreditam que os prejuízos causados pelo encerramento de várias empresas se irão agudizar com o esforço económico necessário à reconstrução das zonas afetadas pelo furacão "SandY", recordando que, apesar dos efeitos devastadores que teve o "Katrina" em Nova Orleãs, em 2005, os seus efeitos não afetaram a médio ou longo prazo a economia norte-americana. No entanto, o rasto de destruição deixado pelo "Sandy", que levou dez estados norte-americanos a declararem o estado de emergência, faz temer que o seu impacto se note este trimestre na economia do país.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG