Republicanos adiam voto na Câmara dos Representantes

A direção da bancada republicana na Câmara dos Representantes decidiu não submeter a votação o texto em que se previa o aumento do limite da dívida pública e que continha igualmente pontos críticos sobre a reforma do sistema de seguro de saúde do Presidente Barack Obama, devido à falta de apoio dos eleitos do Tea Party.

A Câmara dos Representantes dos EUA cancelou a votação na terça-feira (madrugada de quarta-feira em Portugal) um projeto de lei destinado a elevar o limite da dívida pública até 07 de fevereiro, indicaram dirigentes republicanos a menos de 30 horas do prazo limite.

Os dirigentes republicanos decidiram não submeter a votação o texto, em que se atacava a reforma do sistema de seguro de saúde do Presidente Barack Obama, alegadamente por falta de apoio dos eleitos da fação ultraconservadora do Tea Party.

"Hoje não há votação. Até amanhã", disse aos jornalistas o chefe da maioria republicana na Câmara dos Representantes, Eric Cantor, depois de uma reunião com os líderes do seu partido.

O Senado dos EUA regressou ao centro do debate político na noite de terça-feira (madrugada de quarta-feira em Lisboa) depois da anulação 'in extremis' da votação na Câmara dos Representantes sobre a subida do limite da dívida.

"O senador Reid e o senador McConnell reabriram as negociações e estão otimistas quanto à possibilidade de um acordo", declarou Adam Jentleson, porta-voz do chefe da maioria democrata no Senado, Harry Reid, mencionando também o chefe da minoria republicana, Mitch McConnell.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG