Polícia é suspeita de ter morto a tiro homem por engano

Um homem desarmado foi abatido com um tiro nas costas disparado alegadamente pela polícia de Nova Iorque na altura em que um homem atacava com uma faca uma mulher que se encontrava acompanhada de dois filhos menores.

De acordo com a imprensa de Nova Iorque, que cita um porta-voz do Departamento da Polícia, a vítima identificada como Rafael Laureano, 51 anos, foi atingido por engano.

A polícia disse à agência France Presse que foi chamada para uma ocorrência num apartamento de Brooklyn onde um homem de 47 anos que empunhava uma faca tentava atacar uma mulher que se encontrava com os dois filhos, de seis e sete anos de idade, e que tinham conseguido refugiar-se num quarto de banho.

"Após ter sido ordenado ao suspeito, várias vezes, que largasse a faca, a polícia disparou as armas de fogo contra o indivíduo. O homem de 47 anos foi dado como morto", disse uma fonte policial adiantando que o atacante se chamava Francisco Carvajal.

A polícia disse ainda que outro homem, de 51 anos, que também entrou no mesmo apartamento "apresentava traumatismos no torso" e foi declarado morto depois de ter sido transportado para o hospital.

De acordo com os médicos que examinaram o cadáver, Laureano foi vítima de um tiro que o atingiu nas costas tendo sido declarado homicídio.

Segundo a polícia, a mulher, de 35 anos de idade, e os filhos encontravam-se desarmados.

Exclusivos

Premium

Contratos públicos

Empresa que contratava médicos para prisões não pagou e sumiu

O Estado adjudicou à Corevalue Healthcare Solutions, Lda. o recrutamento de médicos, enfermeiros, psicólogos e auxiliares para as prisões. A empresa recrutou, não pagou e está incontactável. Em Lisboa há mais de 30 profissionais nesta situação e 40 mil euros por pagar. A Direção dos Serviços Prisionais diz nada poder fazer.