PM japonês visita Brasil para estreitar laços

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, inicia hoje uma visita oficial ao Brasil, para estreitar as relações económica entre os dois países, buscando novas parcerias e oportunidades para empresas japonesas que já atuam na região.

O líder japonês, que chegou quinta-feira à noite a Brasília, concluirá no Brasil um périplo pela América Latina, que incluiu passagens por México, Colômbia e Chile - todos países vistos pelo governo japonês como economias com potencial de crescimento para parcerias comerciais.

No Brasil, a agenda conta com um encontro com a presidente Dilma Rousseff, no Palácio do Planalto, além de reuniões com empresários brasileiros, em Brasília e em São Paulo.

As áreas de infraestrutura em transporte e energia deverão receber especial importância nas conversas, tendo em vista novas oportunidades de investimentos para companhias japonesas.

Atualmente, cerca de 700 empresas japonesas atuam no Brasil e a intenção do governo é ajudá-las a expandir seus negócios nos próximos anos, a partir de uma visão de que o Brasil possui alto potencial de expansão, além de um novo status de importância, diante de seu papel no grupo do BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul).

À parte dos encontros políticos e econômicos, Shinzo Abe manterá reuniões ainda com parlamentares e descendentes da comunidade japonesa no Brasil.

O Brasil é o país com a maior população de descendentes de japoneses, com cerca de 1,6 milhões de 'nikkeis' (descendentes de imigrantes japoneses), enquanto o Japão abriga uma comunidade de aproximadamente 190 mil brasileiros.

Entre os objetivos da viagem está a possível elevação da relação bilateral a um nível de parceria global estratégica. Ambos os governos deverão discutir ainda o aprofundamento das relações de cooperação nos campos de educação, ciência e tecnologia.

Essa é a primeira vez, em dez anos, que um chefe de governo japonês visita o Brasil.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG