Pai dos suspeitos diz que filhos são vítimas de "cilada"

Anzor Tsarnaev, apresentado como pai dos irmãos Tsarnaev, suspeitos do duplo atentado em Boston, denunciou hoje que os serviços secretos norte-americanos armaram uma cilada aos filhos por serem "muçulmanos crentes".

"Tive conhecimento dos acontecimentos pela televisão. A minha opinião é que os serviços secretos julgaram os meus filhos porque são muçulmanos crentes", afirmou Anzor Tsarnaev, numa conversa telefónica com a agência noticiosa russa Interfax.

Os suspeitos do duplo atentado de segunda-feira em Boston foram identificados pelas autoridades como dois irmãos de origem chechena: Dzhokhar Tsarnaev, de 19 anos, que continua a monte, e Tamerlan Tsarnaev, de 26 anos, detido hoje de madrugada pela polícia e que acabou por morrer no hospital.

"Porque mataram Tamerlan?", questionou o pai, defendendo que o filho tinha que ter sido capturado vivo.

"O mais novo conseguiu fugir. Estudava na faculdade de Medicina. Estamos à sua espera para as férias. Agora não sei o que vai acontecer. Repito: os serviços secretos armaram uma cilada aos meus filhos", reforçou.

Outro familiar, Ruslan Tsarnaev, um tio dos irmãos, assegurou, em declarações à estação televisão norte-americana CBS, que Tamerlan defendia ideias extremistas.

Em outra entrevista, ao canal Fox 25, o tio afirmou que Dzhokhar era um bom estudante, que queria ser médico e que na última vez que teve notícias do sobrinho este estava desempregado.

"Temo que o irmão mais velho possa ter tido uma má influência sobre ele", disse Ruslan Tsarnaev, que pediu ao sobrinho, que continua a monte, para se entregar às autoridades.

Segundo informou a imprensa russa, Tamerlan tinha material de teor extremista na sua conta na rede de partilha de vídeos Youtube.

As duas explosões registadas na segunda-feira perto da linha da meta da Maratona de Boston causaram três mortos e cerca de 180 feridos

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG