Obama quer medidas contra violência com armas

O Presidente norte-americano comprometeu-se hoje a colocar o seu "peso total" numa legislação contra a violência com armas em 2013, classificando como o pior dia da sua presidência o assassinato de 20 alunos numa escola primária.

Em entrevista à cadeia de televisão NBC, na rubrica "Meet the Press", que foi transmitida hoje e é citada pela AP, Barack Obama mostrou-se cético com as propostas de colocar guardas armados nas escolas, depois do ataque a 14 de dezembro na Sandy Hook Elementary School, em Newtown, Connecticut.

Obama prometeu reunir o povo americano em torno de uma agenda para limitar a violência com armas nos Estados Unidos.

"Não é suficiente dizermos: 'Isto é muito difícil para nós, não vamos tentar'", afirmou Obama, que falava na entrevista, gravada no sábado.

"O que pretendo fazer é ir falar com todas as partes. Irei reunir-me com os Republicanos, irei reunir-me com os Democratas. Falarei com todos", disse o Presidente norte-americano.

"Acho que há uma vasta maioria de proprietários de armas que reconhecem que não podemos ter uma situação em que qualquer pessoa com problemas psicológicos severos pode ter acesso a armas de elevada capacidade, tal como este indivíduo em Newton que atirou sobre as nossas crianças. E, sim, vai ser muito difícil", acrescentou.

No tiroteio de Newton morreram seis adultos e, segundo o relatório das autoridades, o atirador matou a mãe, proprietária das armas, na sua casa, e depois suicidou-se quando a polícia chegou à escola primária.

"Haverá resistência? Claro que haverá resistência" ao pacote legislativo sobre armas, concluiu o presidente norte-americano.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG