Nobel da Paz é anunciado hoje às 10.00

O Nobel da Paz, a distinção que gera mais especulação, é hoje anunciado em Oslo, Noruega, com a edição de 2013 a ser marcada pelo favoritismo da jovem ativista paquistanesa Malala Yousafzai e do médico congolês Denis Mukwege.

O Comité Nobel norueguês, que atribui o Nobel da Paz, confirmou que recebeu este ano um número recorde de candidaturas, 259.

Vários especialistas em prémios Nobel apresentam como favorita Malala Yousafzai, que foi galardoada na quinta-feira com o prémio Sakharov para a liberdade de pensamento do Parlamento Europeu.

A jovem paquistanesa, que sobreviveu a uma bala disparada à cabeça por talibãs, há um ano, tornou-se numa figura planetária do direito das mulheres à educação perante o extremismo religioso.

Para o diretor do Instituto para a Investigação sobre a Paz (Prio) em Oslo, Kristian Berg Harpviken, a possível atribuição do prémio a Malala seria "um símbolo do direito das mulheres e das crianças à educação e à segurança, mas também do combate contra o extremismo e da opressão".

Na opinião de outros especialistas, a juventude é o fator que poderá impedir esta escolha.

Caso seja distinguida, Malala Yousafzai, de 16 anos, será a laureada mais jovem da história dos prémios Nobel.

Habitual nas "nomeações" ao Nobel da Paz, o ginecologista Denis Mukwege, especializado no tratamento de vítimas de violações na República Democrática do Congo (RDCongo), é outros dos favoritos.

No seu país natal, o médico, alvo de uma tentativa de homicídio em outubro de 2012, cuida todos os anos de milhares de raparigas e mulheres violadas, usadas como arma de guerra por diferentes grupos armados.

Entre os outros potenciais candidatos, estão ainda as ativistas russas Lioudmila Alexeeva, Svetlana Gannouchkina e Lilia Chibanova, a organização não-governamental Memorial e o militante bielorrusso Ales Beliatski, atualmente detido e que recebeu recentemente o primeiro prémio Vaclav Havel do Conselho da Europa.

Também propostos para o Nobel da Paz foram o informático Edward Snowden, procurado pela justiça norte-americana por ter denunciado a espionagem de comunicações de vários países por Washington, e Bradley Manning, o militar norte-americano condenado a 35 anos de cadeia por divulgar documentos secretos.

Entre as figuras internacionais distinguidas em anos recentes com este galardão constam Barack Obama (2009), Kofi Annan (2001), Ximenes Belo e José Ramos-Horta (1996), Nelson Mandela e Frederik Klerk (1993) e Aung San Suu Kyi (1991).

O prémio consiste numa medalha de ouro, um diploma e um cheque de cerca de 920.000 euros.

O Nobel da Paz é o único que se anuncia e entrega fora de Estocolmo, por decisão expressa do fundador dos prémios, o magnata sueco Alfred Nobel, já que na altura tempo a Noruega fazia parte do Reino da Suécia.

O anúncio está previsto para as 11:00 locais (10:00 hora de Lisboa).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG