Ministério Público analisa pena de morte para Castro

O Ministério Público de EUA anunciou ontem que está a analisar o pedido de condenação à morte para Ariel Castro, acusado do rapto e de violação de três jovens em Cleveland, durante uma década.

Castro compareceu ontem de manhã no tribunal de Cleveland, no estado norte-americano de Ohio (norte), com os seus dois irmãos, Onís e Pedro, que também foram presos pela polícia na segunda-feira, por envolvimento no sequestro de Michelle Knight, 32 anos, de Amanda Berry, 27, e de Gina DeJesus, 23, bem como da filha de Berry, de seis anos, durante cerca de uma década.

Numa rápida audiência de apenas cinco minutos, Onis e Pedro não abordaram Ariel, que manteve a cabeça baixa durante toda a sessão, trocando apenas algumas palavras, em voz baixa, com a advogada.

A juíza decretou uma fiança de dois milhões de dólares por cada um dos três casos de sequestro e violação e outros dois milhões de dólares pelo sequestro da menor, totalizando 8 milhões de dólares (6,1 milhões de euros).

Também ontem, um promotor de Cuyahoga, em Cleveland, Timothy McGinty, disse que estudará a sentença de pena de morte para Ariel, porque a sua intenção é acusá-lo de assassínio, pelos supostos abortos que provocou às jovens durante o sequestro.

De acordo com McGinty, o estado de Ohio condena à pena de morte "a maioria dos criminosos que cometem homicídio agravado durante um sequestro".

Um relatório da polícia revelou ontem detalhes macabros do cativeiro das três raparigas.

Michelle Knight diz que ficou grávida pelo menos cinco vezes e abortou devido a maus-tratos e falta de alimentos.

Apesar de terem sido detidos na segunda-feira, Pedro Castro, 54 anos, e Onil, 50, irmãos do acusado, o procurador de Cleveland, Victor Perez, informou na quarta-feira que não seriam acusados, uma vez que a polícia não encontrou provas do seu envolvimento no sequestro das mulheres.

As mulheres foram libertadas na segunda-feira à noite, depois de um vizinho ter visto uma delas (Amanda Berry) a gritar e a tentar sair da casa.

A casa onde foram encontradas as três mulheres está localizada a poucos quilómetros dos locais onde terão sido sequestradas.

Amanda Berry foi vista pela última vez a 21 de abril de 2003 após sair do trabalho num restaurante de 'fast-food' localizado a poucas centenas de metros da sua casa. A jovem tinha então 16 anos.

Segundo a polícia federal norte-americana (FBI), Gina DeJesus tinha 14 anos quando desapareceu na altura em que caminhava da escola para casa, a 02 de abril de 2004.

Michele Knight foi vista pela última vez nas imediações da casa de um primo a 23 de abril de 2002. Na altura, a jovem tinha 21 anos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG