Militares protegem loja de portugueses

Elementos da Guarda do Povo (polícia militar) venezuelana estão a proteger as instalações da Pablo Eletrónica, uma importante loja de eletrodomésticos de La Candelária, Caracas, propriedade de portugueses, onde dezenas de pessoas esperavam hoje para comprar produtos a "preços justos".

Fontes da comunidade lusa local avançaram à agência Lusa que a loja está fechada e na porta foi colocado um papel com a referência de que reabriria na próxima semana, com a venda limitada a apenas um artigo por pessoa.

Entretanto, o administrador da loja, Ricardo Garcia, disse aos jornalistas que uma comissão presidencial está a fazer uma inspeção exaustiva da lista de preços dos mais de 6.000 produtos que a loja vende, destacando que as conversações entre inspetores e o pessoal da loja têm sido cordiais.

Algumas das pessoas que se encontravam à espera para fazer compras disseram esperar descontos de mais de 30% nos produtos.

Na sexta-feira, funcionários do Instituto Nacional para a Defesa das Pessoas no Acesso a Bens e Serviços (Indepabis) acusaram a Pablo Eletrónica de ter aumentado injustificadamente o preço dos seus produtos.

Como exemplo, o presidente do Indepabis, Eduardo Samán, referiu que um televisor de 32 polegadas que deveria custar 6.999 bolívares (841,60 euros) estava à venda por 26.998 (3.2416 euros).

Na última quarta-feira, o Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou que o seu Governo iniciaria uma grande operação cívico-militar para combater a especulação e o monopólio de bens no país.

"Uma grande operação cívico-militar que percorrerá toda a pátria, iremos até ao último nível da cadeia produtiva, distributiva e comercial do país", declarou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG