Mãe dos suspeitos é uma "pessoa de interesse"

A mãe dos alegados responsáveis pelo atentado de Boston está a ser tratada como uma "pessoa de interesse" pelas autoridades norte-americanas, que pretendem determinar se ela radicalizou o filho mais velho, afirmaram hoje congressistas dos EUA.

Os irmãos de origem chechena Tamerlan e Dzhokhar Tsarnaev são acusados de terem cometido os ataques da semana passada junto à meta da maratona de Boston que mataram três pessoas e feriram mais de 280.

A mãe dos dois suspeitos, Zubeidat Tsarnaev, tem feito a partir da região do Daguestão, na Rússia, críticas veementes às autoridades norte-americanas desde que o seu filho mais velho, Tamerlan, morreu durante um tiroteio com a polícia dias após o atentado em Boston.

Uma viagem de seis meses que Tamerlan fez no ano passado a uma região a norte do Cáucaso despertou o interesse das autoridades, bem como a possibilidade de ter entrado em contacto com grupos islamitas extremistas na região.

"Zubeidat é uma pessoa de interesse que estamos a investigar para sabermos se ajudou a radicalizar o seu filho, se teve contacto com outras pessoas ou com grupos terroristas", afirmou o congressista democrata Dutch Ruppersberger aos jornalistas.

O congressista republicano Michael McCaul também aponta Zubeidat como guia de Tamerlan ao extremismo islâmico, dizendo à imprensa que, na sua opinião, a mãe teve "um papel no processo de radicalização no filho, influenciando-o com visões fundamentalistas do Islão".

McCaul disse que na quinta-feira uma "equipa norte-americana foi formada para entrevistar pessoas na região chechena do Daguestão" na "esperança de que possa obter algumas provas".

No início desta semana, durante uma entrevista na televisão, a mãe dos alegados coautores do atentado sugeriu que o ataque na maratona de Boston foi encenado.

"Vi um vídeo muito, muito interessante ontem à noite, sobre como a maratona era uma enorme peça teatral", disse à CNN, acrescentando que "há tinta em vez de sangue, como se tudo fosse inventado" e reafirmando acreditar na inocência dos seus filhos.

O marido de Zubeidat, Anzor Tsarnaev, disse que tinha planeado viajar hoje para os Estados Unidos, onde o seu filho mais novo, Dzhokhar, está detido sob acusações de terrorismo.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG