Maduro acusou oposição de intenção de golpe de Estado

O vice-presidente venezuelano acusou a oposição de intenção de golpe de Estado "acelerado", por defender que a presidência do país seja assumida interinamente pelo presidente da Assembleia Nacional caso Chávez não preste juramento a 10 de janeiro, noticiou a Efe.

O secretário executivo da aliança opositora Mesa de Unidade Democrática (MUD), Ramón Guillermo Aveledo "pretende que nós, neste caso, o nosso querido companheiro Diosdado Cabello (atual presidente da Assembleia Nacional) e a Assembleia Nacional façam um golpe de Estado ao Presidente Chávez", disse o vice-presidente Nicolas Maduro.

A afirmação foi proferida durante uma entrevista conduzida pelo ministro da Informação, Ernesto Villegas, e transmitida na noite de sexta-feira (madrugada de sábado em Lisboa) pela televisão estatal.

O vice-presidente venezuelano baseou as suas acusações numa carta do secretário executivo da MUD enviada às embaixadas acreditadas na Venezuela, na qual pede que Diosdado Cabello assuma a presidência interina do país no caso de Hugo Chávez não estar em condições de prestar juramento para novo mandato, a 10 de janeiro.

Segundo o último relatório médico conhecido, Hugo Chavez sofre uma "infeção pulmonar severa", que complicou a sua evolução depois de ter sido operado mais uma vez em 11 de dezembro, em Cuba, devido ao cancro de que padece.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG