Jornal publica transcriação da audiência de Tsarnaev

O New York Times publicou na segunda-feira na sua página de internet a transcrição da audiência judicial de Dzhokhar Tsarnaev, na qual o presumível coautor dos atentados de Boston comunica a maior parte das vezes com movimentos com a cabeça.

Dzhokhar Tsarnaev, na sua cama de hospital, apenas respondeu uma única vez "não" quando foi questionado se podia pagar um advogado, e a sua voz pareceu ser muito fraca porque a juíza federal Marianne Bowler pediu que constasse no documento que "creio que o acusado disse 'Não'", escreveu a agência espanhola Efe.

A transcrição, realizada por um funcionário judicial, indica que a comparecência teve lugar na segunda-feira, e foi presenciada por um médico (o doutor Odom), que perguntou ao acusado se se sentia capaz de responder a algumas perguntas, ao que Tsarnaev "assentiu afirmativamente", segundo o documento.

Também esteve presente o advogado de defesa William Fick, que indicou ter podido falar "muito brevemente" de forma prévia com o acusado.

A juíza leu as acusações de que Tsarnaev está acusado, e que incluem o "uso de armas de destruição massiva" e ações que levaram à morte.

Em caso de ser declarado culpado, estes crimes têm uma sentença máxima de pena perpétua ou morte, segundo indicou o procurador federal adjunto William Weinreb.

Tsarnaev também assentiu afirmativamente quando a juíza federal lhe perguntou se está ciente de que estava com o seu advogado.

De seguida, Bowler leu-lhe os direitos constitucionais (basicamente, o direito a permanecer em silêncio e a um advogado), e o acusado voltou a anuir afirmativamente quando lhe perguntaram se os tinha entendido.

Depois, Tsarnaev respondeu verbalmente de forma negativa, ainda que com aparente dificuldade, à questão de se pode pagar a um advogado, pelo que a magistrada comunicou-lhe que nomearam Fick como defensor.

O advogado indicou que aceita que Tsarnaev continue detido sem fiança, ainda que sem prejuízo de possíveis moções futuras nesse sentido.

O procurador Weinreb pediu a prisão sem fiança já que o indivíduo está acusado de crimes graves que podem implicar uma condenação a prisão perpétua ou pena de morte.

No final da primeira audiência, a juíza constatou que "o acusado está alerta, mentalmente competente e lúcido. Está ao corrente da natureza dos procedimentos".

Todas as partes acordaram que a próxima audiência tenha lugar no próximo 30 de maio, segundo o documento divulgado pelo New York Times.

Dzhokhar Tsarnaev e o seu irmão mais velho, de 26 anos, morto num tiroteio com a polícia, são acusados de ter colocado as duas bombas que no dia 15 de abril mataram três pessoas e feriram mais de 180 na linha de meta da maratona de Boston.

Djokhar Tsarnaev poderá ainda ser processado pelo estado do Massachussetts pela morte de um polícia num tiroteio no campus universitário do Massachussetts Institute of Technology (MIT), ocorrido quinta-feira à noite, durante uma perseguição policial.

Na sexta-feira à noite, madrugada de sábado em Portugal, depois de 24 horas de buscas intensivas, a polícia deteve Djokhar, que se tinha escondido dentro de um barco no jardim de uma casa dos subúrbios de Boston.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG