Médicos fazem cesariana a jovem impedida de abortar

Um grupo de médicos realizou uma cesariana em 'Beatriz', a jovem de El Salvador que tem lupus e estava grávida de um bebé que não tinha cérebro, anunciou uma ONG que tinha tentado, em vão, que fosse feito um aborto terapêutico.

"Dizem-nos que 'Beatriz' está bem. Teve uma pequena menina, mas diz-nos que dava pena vê-la", afirmou à AFP Morena Herrera, presidente da organização não governamental ACDATEE, grupo de cidadãos que defendem a despenalização do aborto terapêutico em El Salvador.

A jovem de 22 anos, que é mãe de um rapaz de um ano, tinha pedido às autoridades para fazer um aborto, depois de ter sido recentemente diagnosticada com lúpus eritematoso sistémico (uma doença que debilita o sistema imunológico) e os exames terem revelado que o feto tinha anencefalia (malformação que consiste na ausência de cérebro ou de parte dele).

O tribunal negou a hipótese de aborto, por considerar que a vida de 'Beatriz' não corria perigo. A solução foi fazer uma cesariana, sabendo-se que o bebé morreria ao nascer. 'Beatriz' estava grávida de 26 semanas.

Ler mais

Exclusivos