Madeirense sequestrado há três dias na Venezuela

Um comerciante português, de 54 anos, foi sequestrado por indivíduos armados, há três dias, em La Lagunetica, uma localidade da cidade venezuelana de Los Teques, a 20 quilómetros a sul de Caracas.

Fontes da comunidade portuguesa local indicaram à agência Lusa que o comerciante, natural da Calheta, Madeira, foi intercetado por desconhecidos quando circulava perto de um viveiro do qual é proprietário.

O sequestro ocorreu na quarta-feira, desconhecendo-se desde então o paradeiro do comerciante.

Este sequestro está a causar alguma apreensão no seio da comunidade lusa local que diz ter presente na memória que, em 2011 e início de 2012, La Lagunetica e a vizinha localidade de San Pedro dos Altos transformaram-se nas regiões do Estado de Miranda com o maior número de sequestrados, incluindo uma dezena de portugueses.

Em La Lagunetica e San Pedro dos Altos é comum ver portugueses a trabalhar na agricultura, floricultura e em viveiros.

Fontes não oficiais dão conta de que, no ano passado, o mesmo comerciante foi alvo de um rapto e que este seria o terceiro sequestro ocorrido no seio da mesma família.

Exclusivos

Premium

história

A América foi fundada também por angolanos

Faz hoje, 25 de agosto, exatos 400 anos que desembarcaram na América os primeiros negros. Eram angolanos os primeiros 20 africanos a chegar à América - a Jamestown, colónia inglesa acabada se ser fundada no que viria a ser o estado da Virgínia. O jornal The New York Times tem vindo a publicar uma série de peças jornalísticas, inseridas no Project 1619, dedicadas ao legado da escravatura nos Estados Unidos. Os 20 angolanos de Jamestown vinham num navio negreiro espanhol, a caminho das minas de prata do México; o barco foi apresado por piratas ingleses e levados para a nova Jamestown. O destino dos angolanos acabou por ser igual ao de muitos colonos ingleses: primeiro obrigados a trabalhar como contratados e, ao fim de alguns anos, livres e, por vezes, donos de plantações. Passados sete anos, em 1626, chegaram os primeiros 11 negros a Nova Iorque (então, Nova Amesterdão) - também eram angolanos. O Jornal de Angola publicou ontem um longo dossiê sobre estes acontecimentos que, a partir de uma das maiores tragédias da História moderna, a escravatura, acabaram por juntar o destino de dois países, Angola e Estados Unidos, de dois continentes distantes.