Levantado alerta de tsunami emitido após sismo no Alasca

As autoridades norte-americanas levantaram o alerta de tsunami que tinham emitido hoje depois de um forte sismo ter abalado o Estado do Alasca, informou o Instituto de Geofísica dos Estados Unidos, que entretanto, alterou a magnitude do tremor de terra de 7,1 para 6,8 na escala de Richter.

O sismo ocorreu à 01:55 local (11:55 em Lisboa), segundo o mesmo instituto.

O epicentro do sismo foi localizado nas ilhas Aleutas, um arquipélago que liga a região à Rússia, a 35,5 quilómetros de profundidade e a 1.679 quilómetros a oeste-sudoeste de Anchorage, a maior cidade do Estado norte-americano do Alasca, de acordo com as novas informações do instituto.

Não existem ainda informações sobre se o sismo provocou danos pessoais ou materiais.

"Esta área é muito remota", afirmou a sismóloga do instituto Jessica Sigala, em declarações à agência noticiosa francesa AFP, admitindo que poucas pessoas terão sentido o abalo.

Cerca de uma hora mais tarde, uma réplica de magnitude 4,5 foi sentida na região, referiu ainda o instituto.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.