Jovem luso-venezuelano sequestrado na Venezuela

Um jovem luso-venezuelano de 18 anos de idade foi sequestrado na noite de terça-feira na cidade de Maracaibo, 800 quilómetros a oeste de Caracas, avançaram hoje à Agência Lusa fontes da comunidade portuguesa local.

Segundo as fontes o jovem, Ricardo de Jesus Polegar, descendente de emigrantes naturais de Vila Nova de Gaia e de Matosinhos, foi intercetado por dois homens armados quando, acompanhado pelo pai, regressava a casa, na urbanização Monte Belo, tornando-se a primeira vítima de sequestro este ano na cidade venezuelana.

"Ele preparava-se para abrir a porta do estacionamento quando os sequestradores apareceram, agarraram o jovem por um braço e obrigaram-no a subir para uma outra viatura, enquanto ameaçavam dar um tiro ao pai", explicou uma das fontes à Agência Lusa.

"De momento não houve nenhum contacto telefónico exigindo o pagamento de um resgate", adiantou.

Segundo as rádios venezuelanos trata-se do primeiro sequestro ocorrido em 2013 em Maracaibo, onde continua desaparecido o português Alfredo dos Santos Correia, 38 anos, sequestrado por homens armados em 19 de julho de 2012.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Patrícia Viegas

Espanha e os fantasmas da Guerra Civil

Em 2011, fazendo a cobertura das legislativas que deram ao PP de Mariano Rajoy uma maioria absoluta histórica, notei que quando perguntava a algumas pessoas do PP o que achavam do PSOE, e vice-versa, elas respondiam, referindo-se aos outros, não como socialistas ou populares, não como de esquerda ou de direita, mas como los rojos e los franquistas. E o ressentimento com que o diziam mostrava que havia algo mais em causa do que as questões quentes da atualidade (a crise económica e financeira estava no seu auge e a explosão da bolha imobiliária teve um impacto considerável). Uma questão de gerações mais velhas, com os fantasmas da Guerra Civil espanhola ainda presente, pensei.